Etiquetas

domingo, 31 de janeiro de 2016

GONDAR ESTÁ A ENVELHECER


De acordo com os dados disponibilizados pelo INE-Instituto Nacional de Estatística (Censos 2011), a freguesia de Gondar é habitada por 1.686 pessoas, das quais, 16,6% têm mais de 65 anos e apenas 16,3% são crianças ou adolescentes.

População de Gondar por grupos etários (2001-2011)

Comparando, por grupos etários, os dados do Censos 2011 com os do Censos 2001 (ver gráfico), podemos concluir o seguinte:
- os indicadores demográficos de 2011 acentuam duas tendências demográficas recentes em Portugal: o abrandamento do crescimento demográfico e o envelhecimento populacional;
- a percentagem de crianças e adolescentes (0-14 anos) continua a diminuir, sendo de apenas 16,3% face aos 20% de 2001, o que denota uma baixa taxa de natalidade;
- o número de adultos e idosos aumenta, com um peso muito grande no conjunto da população, refletindo o aumento de esperança de vida a que se vem assistindo nos últimos anos.
Temos, por isso, em Gondar um fenómeno que é comum ao resto do país e característico dos países desenvolvidos: baixas taxas de natalidade e aumento da esperança média de vida, o que se traduz numa população, cada vez, mais envelhecida.

Fonte: INE

Miguel Moreira

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

POPULAÇÃO DE GONDAR 
EVOLUÇÃO DEMOGRÁFICA (1864 – 2011)

A população de Gondar atingiu o seu pico em 1981 (1.893 habitantes), tendo, desde então, vindo a diminuir até aos nossos dias. Em 2011, Gondar tinha 1.686 habitantes.
Evolução Demográfica - Gondar (Amarante)
Se analisarmos o gráfico mais em pormenor, podemos concluir o seguinte:
1   1- Em termos globais, a população aumenta até 1981 e diminui desde essa data e até aos nossos dias;
2   2- No pós-2ª guerra mundial (décadas de 40 e 50) verifica-se um crescimento mais acentuado, movimento que é natural nos períodos que sucedem a guerras ou outro tipo de crises;
3   3- Após esse crescimento, verifica-se novamente um recuo na década de 60, explicado pelo surto migratório então verificado;
4   4- Na década de 70, como resultado das melhorias nas condições de vida trazidas com a revolução de Abril, a população residente volta a aumentar;
5   5- Desde os anos 80, a população de Gondar não para de diminuir, embora com uma descida menos acentuada na última década.

Fonte: INE

Miguel Moreira (texto e gráficos)

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

CAPELA DE SANTO AMARO DE OVELHINHA

As referências conhecidas à capela de Santo Amaro, em Ovelhinha, remontam ao início do séc. XVIII, mas é bem possível que a sua construção seja anterior. Na sua obra “Memórias Ressuscitadas…”, Craesbeeck, no ano de 1726, diz, referindo-se à Igreja matriz, que esta tem “huma capella filial de Santo Amaro, em o lugar de Ourelinha” e nas “Memórias Paroquiais” de 1758, António Coelho Pedroza faz referência à Capela de Santo Amaro, administrada pelo comendador Conde do Redondo (note-se que Gondar era Comenda da Ordem de Cristo). Não existe, por isso, a menor dúvida sobre a importância desta Capela onde, pela sua localização no centro da paróquia, era celebrada missa dominical e outros sacramentos.

Capela de santo Amaro (Ovelhinha - Gondar)

As “Memórias Paroquiais” (1758) sublinham também a realização, neste local, de uma feira franca anual “de javalis mansos e coisas comestíveis”, no dia de santo Amaro, a 15 de Janeiro.
Altar de Santo Amaro (Ovelhinha - Gondar)
A capela, simples e austera, denota os parcos recursos da paróquia aquando da sua construção, não possuindo elementos de valor artístico que mereçam ser destacados.
O altar, de feição neoclássica, tudo indica não ter sido construído de raiz para esta capela, pois o seu formato e dimensão não se coadunam com a parede à qual está adossado. No centro possui um nicho envidraçado, que alberga a imagem do santo, ladeado por duas colunas coríntias estriadas e encimado por um remate ondulado, no qual se insere uma pomba, símbolo do Espírito Santo.
Quanto à imagem de Santo Amaro, trata-se de uma escultura em madeira policromada, do século XVIII, assente sobre uma base marmoreada de formato hexagonal. Segura com a mão esquerda uma cruz, apresenta cabelo castanho com corte em tonsura e longas barbas da mesma cor e veste hábito negro sobreposto por manto com capuz, segundo as regras da Ordem de S. Bento à qual pertenceu.
Concluindo, pode dizer-se que a capela de Santo Amaro interessa mais pelo seu significado histórico-patrimonial do que pelo seu valor artístico.


Miguel Moreira

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

GONDAR FESTEJA SANTO AMARO

Hoje, 15 de Janeiro, é dia de Santo Amaro.
Cumprindo uma secular tradição, os gondarenses e, em particular, a população de Ovelhinha festeja no próximo fim-de-semana, dias 16 e 17 de Janeiro, Santo Amaro. Com missa e procissão em honra do santo e muita animação, os festejos decorrem na capela que lhe é dedicada no lugar de Ovelhinha e no amplo terreiro que ladeia o pequeno templo.
Longe vão os tempos em que o largo se apinhava de gente que fazia desta festa, que se realizava no "domingo gordo", uma espécie de Carnaval antecipado. Misturando o sagrado com o profano, os romeiros divertiam-se com jogos carnavalescos em que os "poses" e os jogos de água entre rapazes e raparigas eram o prato forte. Claro que não faltava a pipa do vinho, esquiçado no dia e vendido à caneca, os rosquilhos, as cavacas e o afamado biscoito da Teixeira.
Quanto à música, utilizava-se a prata da casa: uma concertina e dois cantadores faziam a festa e animavam o baile.
Outros tempos, outras gentes, outras tradições... mas a festa continua e isso é bom.
Viva Santo Amaro!
Capela de Santo Amaro (Ovelhinha - Gondar)

Altar de Santo Amaro (Ovelhinha - Gondar)

Miguel Moreira